Blog

O que são Doenças Respiratórias Crônicas

doenças respiratórias

Estamos no período de maior demanda nos Prontos Socorros em relação às doenças respiratórias – de março a junho – devido ao aumento da circulação dos vírus que podem acometer gravemente pessoas de todas as idades, em especial crianças e idosos.

O ar seco característico do outono somado a maior circulação dos vírus respiratórios geram uma proliferação de infecções nas vias aéreas superiores, causando gripes, resfriados, crises de asma, pneumonias e bronquiolites.

Portanto, neste conteúdo, mostraremos quais são as principais doenças respiratórias, seus sintomas mais comuns e como se prevenir.

Acompanhe a leitura do artigo para conferir o que você precisa saber sobre o assunto!

Quais são os principais sintomas das doenças respiratórias?

Segundo especialistas, é muito importante atentar-se a alguns sintomas específicos nessa época do ano, pois podem ser manifestações de quadros mais graves.

Entre eles, podemos citar:

  • Dificuldade para respirar: mais esforço do que o comum nos músculos do pescoço e barriga;
  • Falta de ar e cansaço;
  • Frequência respiratória aumentada (respiração rápida) na ausência de febre;
  • Prostração e inatividade.

Esses sinais devem ser interpretados como um alerta para procurar um atendimento de urgência.

Quais são as principais doenças respiratórias crônicas?

Agora que você já tem uma perspectiva mais ampla sobre como as doenças respiratórias se manifestam, apresentaremos as principais patologias crônicas ligadas ao sistema respiratório que demandam mais atenção durante este período do ano.

Asma

A asma consiste no estreitamento dos brônquios, que são os canais que levam ar para os pulmões, dificultando a passagem do ar e provocando broncoespamos e contrações. As crises interferem na respiração.

Quando ocorre a inflamação dos brônquios, há um aumento na secreção de muco, aumentando ainda mais o problema respiratório. Uma pessoa com asma tem mais dificuldade para expirar do que inspirar, uma vez que o ar inspirado tende a ser aprisionado nos pulmões, causando uma sensação de sufoco.

Pessoas de qualquer idade podem ser afetadas pela asma, apesar da doença, na maioria dos casos, ser diagnosticada na infância. Além disso, é comum manifestar-se em pessoas da mesma família.

Seus principais sintomas são:

  • Tosse seca;
  • Falta de ar;
  • Opressão no peito;
  • Chiado.

Lembrando que gripes e resfriados costumam agravá-los.

É recomendado tomar muito líquido. Cerca de cinco a oito copos por dia podem ajudar a diluir a secreção brônquica, facilitando a expectoração. Também é importante praticar exercícios respiratórios e evitar medicamentos indutores do sono, pois tornam a respiração mais lenta.

Rinite alérgica

Rinite é a inflamação, aguda ou crônica, de fundo alérgico, irritativo ou infeccioso da mucosa nasal. Enquanto os casos agudos são, em sua maioria, causados por vírus, os casos recorrentes ou crônicos são determinados pela rinite alérgica, geralmente induzida pela exposição a substâncias alérgenas (que causam reação alérgica com resposta inflamatória) – entre elas os fungos, ácaros da poeira domiciliar, baratas, pólen e  animais domésticos.

As principais substâncias irritantes são os compostos voláteis utilizados em produtos de construção e de limpeza e a fumaça do cigarro, que desencadeiam os sintomas por mecanismos não imunológicos.

Entre os sintomas comuns, podemos citar:

  • Espirros sequenciais;
  • Prurido nasal;
  • Corrimento nasal.

Em geral, acompanham lacrimejamento, vermelhidão e coceira. É comum que, nos casos crônicos, ocorra também a perda do olfato e paladar.

Para evitar crises de rinite alérgica, é recomendado manter a casa sempre limpa e arejada, evitar cortinas de tecido e tapetes, assim como qualquer outro objeto que possa acumular poeira.

Além disso, deve-se evitar o fumo, realizar atividades físicas e, em alguns casos, a perda de peso é recomendada.

Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC)

A DPOC é uma patologia que está diretamente relacionada ao tabagismo, que pode se agravar quando não há um tratamento adequado e comprometer a qualidade de vida do paciente. De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), em 2020 a DPOC será a terceira principal causa de morte no mundo.

A doença atinge principalmente pessoas com mais de 60 anos, mas também pode ser identificada em pessoas mais jovens – causando falta de ar e gerando internações com muita frequência.

Entre as principais complicações que a DPOC pode desencadear, estão:

  • Insuficiência respiratória crônica com necessidade de oxigênio domiciliar
  • Expectoração crônica
  • Pneumonias de repetição
  • Osteoporose
  • Perda de peso e desnutrição grave
  • Doenças cardiovasculares (arritmias, insuficiência cardíaca)
  • Pneumotórax, que seria o acúmulo de ar entre o pulmão e as costelas, um quadro potencialmente muito grave com risco iminente de vida

Para concluirmos, é muito importante que você procure atendimento médico especializado para que seja possível obter o diagnóstico correto da doença respiratória crônica. Afinal, milhões de pessoas são afetadas todos os anos – seja por falta de prevenção ou por conta de surtos.

Gostou das dicas que abordamos neste post sobre doenças respiratórias? Quer continuar recebendo mais conteúdos como este todas as semanas? Então, não deixe de acompanhar as postagens do blog. Agradecemos a atenção!

 

Clínica CDRA

Autor Clínica CDRA

Mais posts por Clínica CDRA